sábado, maio 29, 2010

j p sá couto favorecida

A Comissão Parlamentar de inquérito redigiu já o seu parecer final sobre o negócio em torno dos computadores Magalhães. O que concluiu é muito simples e inequívoco (este último adjectivo foi mesmo empregue pela própria comissão para atestar o seu grau de certeza): houve favorecimento do Governo direcionado para a empresa J P Sá Couto. Mais: a criação da Fundação para as Comunicações Móveis teve um fito determinado: fugir à obrigação do concurso público internacional. Enquanto isso, a empresa faturou como nunca pensara que seria possível. Entretanto, os responsáveis pela estrangeirinha andam por aí (anda muita gente por aí), refutando, com a venalidade dos mais variados argumentos - entre os quais aquele que Sócrates se especializou ao longo destes anos: até aqui, milhares de crianças não tinham acesso à internet e foi graças ao computador Magalhães, etc. etc. etc. -, mais este cozinhado político.
O relatório da comissão será enviado para o Tribunal de Contas e para a Comissão Europeia.
Será isso suficiente para o Presidente da República tomar uma atitude? É que eu não queria dar razão a Santana Lopes quando reitera o seu permanente e angustiante estado de exonerado político. De fato, ele foi à vida por bem menos...

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...