quinta-feira, dezembro 06, 2012

colégios gps

Vi só agora a excelente reportagem da TVI sobre o extraordinário grupo empresarial GPS, que possui, no seu longo braço tentacular, vinte e quatro colégios financiados pelo Estado português. É um acabado exemplo de como a política, no seu paradigma do centrão (leia-se: PS e PSD) passa por ser a mais inglória das atividades, quando deveria ser precisamente o contrário. Há, se dúvida, uma série de gente a comer à sombra do Orçamento, aqui oportunamenente ortografado com maiúscula.

o último sopro de oscar niemeyer

Morreu o arquiteto oscar Niemeyer, com quase 105 anos. Não vou falar de arquitetura porque não sei. Quero somente deixar aqui um retalho - uma frase, apenas - de uma entrevista concedida há cerca de dez anos a um jornalista português. Dizia então Niemeyer que a vida é para ser vivida a rir, chorando... não interessa. A vida passa rápido, a vida é um sopro.
Vem isto a propósito destas doidas teorias económicas que vigoram neste conturbado tempo a partir da Alemanha e zelosamente respeitadas pelo incauto governo português. Quantos sopros esta gente já aniquilou? Quantos amanhãs deixaram de cantar? Em nome do quê? De um futuro? De um porvir qualquer? Que eu saiba, são os gatos que têm sete vidas.

quarta-feira, dezembro 05, 2012

contra a iniciativa privada

Os chineses revelam-se uns verdadeiros privatizadores. Querem agora o que resta do Estado português (4%). Na verdade, é peso a mais de um Estado para uma empresa de capitais... públicos.

os jovenzitos psd

Uma coisa afigura-se praticamente certa: um dia, um destes jovenzitos social-democratas será líder do partido e, possivelmente, primeiro-ministro. Afrontar Mário Soares parece ser uma obrigatoriedade na senda desta gente. Há uns anos largos, também Passos Coelho se referiu ao ex-presidente da República em modos similares, anotando que Soares se encontrava (aos setenta e poucos anos) fora do prazo de validade.
Assim se fazem os líderes deste país nestes tempos.

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...