sábado, maio 15, 2010

educação sexual

O nosso "rei", D. Duarte Pio: "Tornar obrigatório o ensino da educação sexual resume-se a dizer: forniquem à vontade, divirtam-se, façam o que quiserem mas com higiene".
Eu também sou contra a criação desta disciplina nas escolas. É, digamos, um forte exemplo daquilo que se chama eduquês. Uma vitória dos nossos pedagogos de meia-tigela, a começar pelo inquestionável Daniel Sampaio, o principal guru e defensor da tese de que educar é também educar na sexualidade. Nada a opor neste ponto. Só que bastaria olhar para os conteúdos programáticos duma disciplina que se chama Ciências da Natureza e depressa se concluiria que, afinal, os nossos alunos iniciam uma educação sexual desde muito cedo, designadamente desde o 2º ciclo de escolaridade, continuando no 3º e, depois, no secundário, com uma disciplina que se chama Biologia. Mas esta perspetiva fatual não interessa nada para estas sumidades das ciências da educação. É preciso uma disciplina de Educação Sexual e pronto. Despreconceituosamente, metem-se uns preservativos numa banana esverdeada, convidam-se uns alunos a realizarem imaculadamente esta tarefa e, entretanto, a aula acaba. Na próxima haverá mais.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...