quinta-feira, maio 21, 2009

o ponto de viragem

É uma tentação. Ainda para mais quando se aproximam eleições. Já Santana Lopes caiu nela, tal como o ministro Pinho e outros antes destes. Agora, foi a vez de Teixeira dos Santos, Ministro das Finanças, não resistir. Declarou que estamos num ponto de viragem. Da crise, entenda-se. O que esta gente não alcança, definitivamente, entender é que a crise, muito mais que meros indicativos numéricos, tem a ver com outro género de realidades. Assim, no mesmo dia em que o Ministro das Finanças afiançava o ponto de viragem, na Autoeuropa pairava a sombra da deslocalização e da não renovação de mais de duzentos contratos a prazo. O mesmo se passa com o avolumar do número de desempregados (e dos trabalhadores precários) que todos os dias teimam em contrariar qualquer efémera esperança de um nivelamento socio-profissional. A crise é muito mais do que números. Foi assim que Guterres ganhou umas legislativas. As pessoas não são números, lembram-se?

(publicado no Público,em 26/05/2009)

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...