quinta-feira, março 26, 2009

as sobras

Se a lei o permitia, Isaltino está, quanto a esta acusação, ilibado. Mas é muito interessante debruçarmo-nos um pouco nisto: como foi possível esta abrangência legal, a qual permitia que um candidato autárquico ficasse com os restos dos donativos da campanha eleitoral? No caso de Isaltino Morais são sobras de 400 mil euros que foram colocados num banco suíço. Como Isaltino desavergonhadamente afirma, foi uma prática corrente (porque legal) de muitos candidatos autarcas. O que se faz em nome da legalidade!

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...