sexta-feira, dezembro 17, 2010

eurobond

O economiquês continua a sua senda. O tempo, agora, é de eurobonds. Sorridente, ouvimos José Sócrates, lá em Bruxelas, na terra dos eurobonds, fazer-nos descomplexadamemnte acreditar que desde há muito defende esta receita contratual entre estados membros. Parece que a Alemanha, a menos eurobondista do grupo, não quer encarrilhar nesta vereda.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...