quinta-feira, março 07, 2013

os borges

Estes iletrados sociais retomam sempre a litania da redução de salários, para que o país possa dar o salto. O sr. Borges andou um tempo ausente. Mas bastou hoje uma agência de rating carimbar Portugal com uma subidita (estabilizou, dizem) para este consultor vir logo dar sinal de vida e de - ele sim - prosperidade. "Ninguém quer um país pobre", afirmou Borges, acrescentando que "o ideal era que os salários descessem como aconteceu noutros países como solução imediata para resolver o problema do desemprego". Ele não sabe, não quer saber, que, dos países da zona euro, é Portugal que tem o menor salário mínimo. Ele também não sabe nem quer saber que 20% da população vive no limiar da pobreza. Ele também não sabe e não quer saber que é a segurança social que impede que esses 20% não se transformem em 40%. Ele também não sabe e não quer saber que há muitos trabalhadores em Portugal que estão na pobreza. O sr. Boreges, vetusto consultor do Governo, aparecerá sempre quando o Mercado quiser.

1 comentário:

Jorge disse...

Chamemos-lhe burgesso!

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...