terça-feira, março 19, 2013

cristas cunha

Assunção Cristas, ministra da agricultura da república, admitiu, para o seu ministério, dois ex-colegas da faculdade. Nada de novo, por aqui. Afinal, este procedimento em nada difere dos seus colegas, atuais e/ou anteriores. Obviamente, que o argumetno da ministra também não foi particularmente original: foram escolhidos pela capacidade de trabalho, pela provas dadas, pela... pela distinta lata dela e deles, acrescento eu, humilde observador revoltado com a gerência da res publica. Ora, toda esta dinâmica nomeadora acaba por significar uma espécie de fim de ciclo, ainda que não se possa falar, apropriadamente, de uma implicação cíclica do agir mandante de Cristas. Esta está, pois, a arrumar a casa. Sabe qeu, provavelmente, não voltará a sentar-se na cadeira do seu gabinete, quando regressar da natalidade.
Nada de novo, portanto.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...