domingo, março 10, 2013

descomunicando

o tempo foi passando... Os dias, as semanas e os meses estiveram sempre carregados com um dedo acusador de incapacidade de comunicação. O ministro Relvas, aquele naturalmente incumbido de fazer a ponte entre o Governo e a Assembleia e, decorrentemente, o povo, afundava-se de dia para dia, semana após semana, na sua própria incompetência, a qual, mais uma vez decorrentemente, espelha a incapacidade orgânica do Governo. Marcelo, sem muito para ficcionar (o outro, o Marques Mendes, cada vez mais parecido com o títere "grande nóia", prefere o caminho preditivo, que já lhe valeu uma transferência para outra equipa), repetia-se, semana após semana, a seguir ao telejornal da TVI: não há quem explique nada no Governo, não pode ser. E tinha razão, afinal: a Troika dixit. Tudo vai agora ser agora diferente. Os gabinetes de comunicação do primeiro-ministro e ministro das finanças serão, decerto, catalisados para novos empreendimentos comunicacionais. A propaganda vem aí. Ficaremos todos mais satisfeitos.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...