terça-feira, outubro 18, 2011

desativação das linhas ferroviárias

Com Cavaco iniciou-se o desmantelamento da rede ferroviária nacional, outrora um forte sinal de progresso e de coesão nacional. Tudo em nome do que agora o novo governo apelida de Plano Estratégico de Transportes. Só que de plano tem muito pouco, de estratégico, quase nada e de tranportes uma incógnita. O interior do país, como é fácil de ver, é o mais sacrificado. Nada de novo no reino, portanto. Só queria era saber uma pequeníssima coisa: e quando descobrirem que, afinal, o farol do desenvolvimento nacional, tendo em conta, sobretudo, a coesão do território, assenta também (sobretudo?) nos comboios? Será que esta gente pensa verdadeiramente o país?

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...