quinta-feira, setembro 04, 2014

o governo empancado

Para gáudio dos profetas das desgraças lusitanas, existem irrevogáveis citius do Governo que teimam em, sistematicamente, empancar. Dou dois exemplos recentes: os programas informáticos do ministério da educação e da justiça.
Na verdade, não se entende como é que é possível fazer, relativamente ao panorama concursal dos professores, pior de ano para ano. A culpa, obviamente, é sempre do sistema informático. De fora fica a incompetência.
Quanto à apelidada reforma judiciária, confesso que ainda não a entendi. Vejo simplesmente, na televisão, esbaforidos funcionários, de caixotes literalmente às costas, os quais presumo que contenham milhares de processos. De seguida, compreendo duas ou três coisas: encerram tribunais onde dizem que não há necessidade de existirem; os funcionários têm de se mudar para instalações provisórias para, dentro de um ano ou dois, voltarem a carguejar outros caixotes em direção aos mapas judiciários definitivos; não consigo vislumbrar, para além da extraordinária ministra, alguém satisfeito; e, finalmente, o inexorável empancamento do portal CITIUS.
Portugal é um país cansado. Se existe, de facto, um aspeto no qual o Governo atingiu os seus propósitos, diz precisamente respeito ao nível anímico dos portugueses. Este encontra-se, lamentavelmente, pelas ruas da amargura. Não fora isso e esta equipa de Passos Coelho já tinha ido pregar para outros citius.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...