quinta-feira, setembro 11, 2014

a rescisão de paulo bento

Parece-me que, como aqui foi afirmado, rabular a incompetência da seleção na equipa médica foi uma ideia incompreensível. Como muito bem disse Henrique Jones, não seria necessário esperar pelo jogo com a Albânia para se concluir que o mal não residia nos médicos. Agora iniciar-se-ão dois processos, inexoráveis e paralelos: a beatificação de Bento (grande homem, grande caráter) e a vasca de nomes posteriormente lançados sem apelo nem agravo para a praça pública. Os compungentes comentadores ajudarão, natural e filauciosamente, à festa.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...