quarta-feira, setembro 17, 2014

o absolutamente extraordinário sr. Crato

Eu vi hoje, em direto no Telejornal, o Sr. Crato, que é ministro da educação, a enviesadamente explicar o descalabro do concurso de professores na sua variante bolsa de escolas (é importante dar conta deste facto - variante - porque ocorrem, neste momento, três variantes de concursos de professores, a saber, contratação inicial, bolsa de escolas e oferta de escolas). E o que eu vi foi demasiadamente confrangedor. Tive até um vago e rapidíssimo sentimento enternecedor sobre o estertor oriundo da sua prestação televisiva. Mas Crato foi igual a si próprio, isto é, de um hebetismo total, de quem não consegue perceber o que está em causa. E o que está em causa, para além do óbvio (a vida de milhares de professores e a total inaptidão desta equipa do ministério da educação) é a própria descredibilização da política. Se o Sr. Crato tivesse um pingo de decência política, simplesmente demitia-se. De preferência, sem pedir conselho ao Sr. Portas.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...