sexta-feira, outubro 12, 2012

não havia necessidade

Não creio que deva haver uma obrigatoriedade de atribuição do prémio nobel todos os anos. Se é verdade que no que diz respeito à literatura, por exemplo, este balizamento temporal possa descomplexadamente existir, já o mesmo não se passa com o da paz. Há um ou dois anos, o distinguido foi Obama; este ano, foi a vez da União Europeia. É verdade que os pressupostos justificativos têm razão de existir. Porém, não é menos verdade que haveria (já os houve) decerto melhores dias para que tudo isto acontecesse.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...