domingo, junho 05, 2011

eleições

Um dado a constar para as estatísticas políticas e eleitoraias é, sem dúvida, o resultado cada vez mais dilatado da abstenção. E não é, de facto, admissível que numa altura destas, de plena assunção de uma certa portugalidade perdida, os cidadãos se desobriguem desse dever cívico. Por outro lado, é também de constar a pertinência dos apelos do Presidente da República para que a cada eleitor correspondesse, efetivamente, um voto. Ou seja: que os eleitores não se transformem em potenciais eleitores. É simplesmente mais um dado a somar a outros para a importância do presidente na vida política de Portugal.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...