segunda-feira, junho 07, 2010

sentidos patrióticos

Actualmente, torna-se demasiado híbrido falar em patriotismo. Para Cavaco, por exemplo, constitui um sinal de patriotismo passar férias cá dentro. Tomando essa atitude, evitamos mais importações e o crescimento da dívida pública. Pelo contrário, o Ministro da Economia reza para que os outros presidentes e chefes de Estado não optem por este tipo de assimilações, pois constituiria, para Portugal, uma quebra de receitas assinalável, tendo em conta o destino turístico do país para muitos estrangeiros. Já o anterior ministro da economia, o saudoso Manuel Pinho, apelou para que se consumissem produtos portugueses. No mesmo sentido, olho para a Europa, para a União, e vejo cada um a tratar da sua vidinha. O que eu singela e envergonhadamente concluo de tudo isto, é que a União Europeia existe somente para nos guiar, diariamente, nos tortuosos caminhos do além défice. O pior é que só temos uma vida. E o primeiro-ministro inglês, David Cameron, já tornou público que temos crise para muitos anos. Que é como quem diz, andaremos neste impasse existencial mais tempo do que supúnhamos. O melhor é mesmo fazer férias cá dentro... mas de casa.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...