quarta-feira, maio 04, 2011

o acordo troika

Independentemente da demente declaração triunfalista de José Sócrates, ao proclamar, ontem, o que o acordo com a troika não abrangia, a verdade é que este não consegue ir ao fulcro da nossa marginalidade europeia, a qual tem, basicamente, a ver com a nossa profunda desigualdade social. Com efeito, neste memorando oriundo do triunvirato não existe uma única palavra que vá ao encontro do combate a este desgraçado e tradicional mal português. E neste campo torna-se sempre necessário falar clara e desassombradamente: não deveria ser possível a partilha de reformas públicas basiladas entre umas poucas centenas de euros e dezenas de milhares de euros. Pois é: existem reformas públicas em Portugal de mais de vinte mil euros. E assim não vamos lá.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...