sexta-feira, junho 29, 2012

o défice enquanto problema tripartido

O INE respondeu: o défice orçamental do primeiro trimestre do ano foi de 7,9% do PIB, ficando, portanto, longe do oásis dos 4,5%. O primeiro-ministro, que nunca fala de questões nacionais lá fora, apressou-se a clarificar as coisas o que, na sua simplicidade obstinada, quer dizer que haverá mais medidas adicionais, se necessário for.
Eu percebo o Governo. Cumprirão tudo que vem no memorando da troika, tudo até à última vírgula. No final, a culpa será também repartida. Não foi por acaso que no último debate parlamentar Passos Coelho referiu que, quando reuniu com a troika enquanto líder do maior partido da oposição, transmitiu-lhe (reivindicou?) que seria melhor prolongar mais um ano o tempo das medidas contratualizadas. Azar dos azares: a troika e o Governo (o PS) já tinham balizado temporalmente o memorando. Moral da história: deveria ter sido primeiro-ministro mais cedo.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...