domingo, junho 10, 2012

renegociação do empréstimo

Portugal não vai pedir a renegociação do empréstimo contraído, afirmou hoje o zeloso primeiro-ministro português. Espanha foi agraciada com uma ajuda de 100 mil milhões de euros, com condições bem diferenciadas das de Portugal ou Irlanda, designadamente no que diz respeito ao caminho da austeridade imposta pelo triunvirato. Ou seja: o dinheiro vai diretamente para os cofres dos bancos, sem mais contrapartidas económicas e sociais. Irlanda ameaçou de imediato com a renegociação, reclamando as mesmas condições. Mas o Governo de Portugal, navegando ao sabor dos ventos dos mais fortes, não vislumbra razões para que tal aconteça. O que importa, para Passos Coelho e Gaspar, é a aritmética fria e incontornável dos números. A outra, a aritmética das pessoas, é coisa que eles são incapazes de entender, por mais esbracejados e institucionais discursos idealizem.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...