segunda-feira, maio 27, 2013

educação e passos coelho

Acabei de ouvir Passos Coelho falar de educação na conferência, realizada hoje, no Centro Cultural de Belém, "Educação, Ciência, Competitividade". Concordei com tudo que ele disse. Passos Coelho falou, grosso modo, no valor da educação para um país, para uma sociedade, para uma família, para um indivíduo. Salientou também a dicotomia entre educação e liberdade. Enfim, tudo o que o primeiro-ministro referiu podia ter sido dito por Guterres (educação como paixão) ou Sócrates (recentralização educacional das pessoas que abandonaram precocemente os estudos). Mas Coelho, ao discursar assim e fazer o contrário, não é capaz de ultrapassar o discurso fátuo, inerme. É, pois, um registo hipócrita. Um exemplo, bastaria, para reforçar esta ideia: Passos Coelho falou na valorização dos graus académicos nas empresas. Por que razão esses mesmos graus não são considerados nas escolas portuguesas?

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...