quinta-feira, abril 05, 2012

os subsídios perdidos

Anda por aí muita confusão. O sr. Weiss admitiu que os portugueses trabalhadores inseridos no setor público jamais tornarão a apalpar os subsídios de férias e de natal. Membros do Governo, entre os quais Carlos Moedas e o próprio Gaspar reafirmaram a vontade do acordo da Troika a este respeito, ou seja, os cortes a este nível durarão até ao término contratual entre a Troika e o Governo português. Por fim, Passos Coelho afirma que os subsídios só serão repostos em 2015, ano de... eleições legislativas (esta última parte, na verdade, já a não verte atmosfera comunicativa da imprensa). Andamos como baratas tontas. Obviamente, uns mais do que outros. E o grande problema passará sempre por aí: a desigualdade gritante que vai crescendo sempre mais um pouco a cada dia que o sol nasce, em Portugal.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...