sexta-feira, julho 01, 2011

mau começo

O novo governo liderado por Passos Coelho começa mal. E tudo por causa do imposto extraordinário, o qual diminuirá em 50% o subsídio de natal dos trabalhadores portugueses que auferem mais do que o salário mínimo nacional. Não me interessa trazer para aqui a necessidade da medida (ficamos também hoje a saber que o buraco orçamental português se situa nos dois mil milhões de euros, o que porventura reforçará o enquadramento deste novo imposto). O que se revela incontornavelmente penoso é este bifurcamento temporal no qual os políticos costumam existir: o antes e o depois, o pré e o pós, a oposição e o governo.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...