quarta-feira, julho 13, 2011

a europa e o rating

Só o facto de se exigir, no meio de uma Europa em desvario mental, uma agência de notação financeira europeia é preocupante. É que na base dessa exigência assenta o manto obscuro da transparência, da independência relativamente aos interesses americanos, com o dólar à cabeça. Tudo seria realizado como um caminho límpido, natural, inevitável se... se não tivéssemos andado a reboque destas agências (são três as mais decisivas) durante estes últimos anos, os mesmos que colocaram a Europa na penosa existência atual. E quando se reflete sobre a ausência de verdadeiros líderes políticos neste velho continente é precisamente destas coisas que se fala, isto é, a atroz incapacidade de ver mais além.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...