segunda-feira, setembro 16, 2013

ronaldos e estádios

Num outro tempo, porventura dentro de algumas dezenas de anos, o homem olhará para a história e deparar-se-á com o que foi a passagem finissecular que nos abriu as portas para o que agora respiramos. Verá, então, como eram os seus iguais. Iguais no género; diferentes no que resta. E o homem, de entre o seu paradigma social, pensará: nesse tempo gastavam milhões e milhões de euros com desportistas e todos aclamavam, encantados. Mas também demasiadas pessoas viviam muito mal, com carências várias. Nesse tempo de milhões, falhava a educação e a saúde. Havia “swaps” e “mainstreams” financeiros que levavam empresas e pessoas à falência. Nesse tempo, não havia política porque esta estava confinada à economia e esta a esse “mainstream”. Pensará então o homem do século XXII: ainda bem que vivo neste tempo.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...