quarta-feira, julho 10, 2013

o irrevogável portas

Paulo Portas continua a sua caminhada rumo a qualquer coisa que apareça. Hoje, no Parlamento, falou de estabilidade governativa. E havemos de ouvi-lo muito mais, com aquele seu ar de orgulhoso conservador, de fina têmpera portuguesa. Paulo Portas é chacota política. Pior: a palavra caráter deixou de lhe encobrir qualquer veleidade discursiva. Conhecíamo-lo no episódio da fotocópias tirada a fugir, agachou-se agora a coberto do seu grau de irrevogabilidade.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...