segunda-feira, setembro 14, 2009

o fantasma do iberismo

Parece-me absurdo extrapolar as palavras de Ferreira Leite sobre o interesse particular dos espanhóis relativamente ao TGV. Em primeiro lugar, porque parece que tem razão, se tivermos em conta a reacção de alguns políticos do país vizinho. Depois, porque anexar às suas declarações uma espécie de nacionalismo primário, à extrema-direita, é precisamente de quem tem uma visão algo apertada sobre as relações/negociações que devemos ter com a única fronteira que nos abraça. E o verbo abraçar vem, neste caso, muito a propósito.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...