segunda-feira, setembro 24, 2012

o formiguinha

Miguel Macedo quis somente homenagear, com a boutade fabulísitica da cigarra e da formiga, aqueles que produzem riqueza para o país, especialmente os que trabalham por conta de outrem, pequenos e médios empresários e também agricultores. Os outros, coitados, os que estão neste momento encostados às amarguradas cordas do desemprego por conta de outrem e por conta própria, são, portanto, as cigarras. Eu não disse? Passos Coelho, de facto, era incapaz de produzir melhores etapas discursivas. Será que é o sr. Miguel Macedo que lhe prepara os discursos?

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...