domingo, setembro 04, 2011

o discurso de passos

Este tipo de argumentário de Passos Coelho ao reclamar o início do fim da crise para 2012, ao mesmo tempo que aponta o dedo para aqueles que "pensam que podem incendiar as ruas e ajudar a queimar Portugal" não pega. Em primeiro lugar, porque é demasiado mofoso. Depois, porque nos remete para uma certa pacovice nacional quando, por exemplo, afirma que "pode haver quem se entusiasme com as redes sociais e com aquilo que vê lá fora, esperando trazer o tumulto para as ruas de Portugal”. Para as ruas de Portugal... lá fora... Será um recado ao facebook cavaquista?

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...