quarta-feira, agosto 11, 2010

o caso carlos queiroz

Pinto da Costa clarificou a coisa: ridículo. E tem razão. Todos sabemos que o que se está a passar com o atual selecionador nacional de futebol se encontra relacionado com os maus resultados obtidos no campeonato do mundo. Tivessem sido outros e não havia Laurentino Dias a esboçar receitas de maior ou menor gravidade dos "fatos ocorridos". E também sabemos que o contrato que liga Queiroz à Federação é, do mesmo modo, ridículo (os montantes e a duração). Assim, amanhou-se isto, à falta de melhor. Mas esta gente não contava com a reação do ex-adjunto de Alex Ferguson no Manchester United.
Lembro-me de que há tempos, era então António Oliveira o treinador, houve também uma situação de um certo pundonor exacerbado por parte de alguma imprensa, quando se descortinou, nos lábios do selecionador, no momento em que este esboçava as últimas diretrizes táticas ao jogador Dominguez (que se preparava para entrar em campo) qualquer coisa do género: "mostra a estes nazis como se joga" ou "vamos dar cabo destes nazis" (era a Áustria o adversário). Como Oliveira já havia caído em desgraça na imprensa desportiva, o episódio assemelha-se, nestes princípios, a este do Carlos Queiroz. Não sei se na altura o desbocado Laurentino Dias tutelava a área...

1 comentário:

Anónimo disse...

O Queiroz não deve nem pode mandar bocas (insultos) mesmo sendo o treinador da selecção. Se não concordasse deveria opinar de uma forma profissional. Claro que só um bom resultado no mundial o poderia "safar" de ter sido mal educado. Não o obteve, por este motivo acho muito bem que seja posto no seu lugarzinho.

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...