domingo, janeiro 31, 2010

penas pesadas, diz vitor constâncio

Ouvir o extraordinário presidente do Banco de Portugal pedir penas pesadas para os responsáveis dos bancos que faliram (BPN e BPP) é hilariante. Não é que não mereçam. Acontece que Constâncio, um dos ordenados mais chorudos da nossa função pública (mais carrões, representações, prémios, etc., etc.), viveu, durante os anos que antecederam a crise, numa completa atmosfera límbica. Agora, com aquele ar de justiceiro, candidato a uma vice presidência do Banco Central Europeu, mostra que, afinal, a farinha pode mesmo sair toda do mesmo saco.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...