quarta-feira, julho 01, 2009

camisola de sangue

Ouvi no rádio do carro o discurso do sr. Bettencourt aquando da apresentação do jogador Matias Fernandez. O sr. Bettencourt é presidente recém-eleito do Sporting. Parece que é uma grande figura lá para esses lados. Mas confesso que fiquei estupefacto com tamanha alarvidade discursiva. Ele pediu ao jogador chileno uma "camisola suada quase de sangue", pois custou muito dinheiro ao clube. Depois embalou por aí fora com outras tiradas tonitruantes (deve pensar que lá por o jogador ser chileno deve cantar o hino com os dentes e punhos arreganhados de sangue). Mas eu cheguei ao meu destino e desliguei admiravelmente o rádio do carro. É isso a visão do futebol desta gente? Suar a camisola quase de sangue? Que mensagem ele quererá transmitir? Os adeptos gostarão deste tipo de entontecimentos? Se calhar gostam, não sei.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...