quinta-feira, dezembro 15, 2011

plafonamento para as pensões mais altas

O tempo da reforma não é, seguramente, um tempo para enriquecer, tendo em conta, obviamente, a exclusividade de uma remuneração mensal. Daí que não compreenda a obscenidade de muitas reformas públicas. O ministro da solidariedade, Pedro Mota Soares, fez hoje jus ao cargo que ocupa ao defender que o limite de três salários mínimos para as pensões mais altas é um valor demasiado baixo. Terá, decerto, construído o seu raciocínio baseado nalguma premissa. No entanto, não posso deixar de anotar que nunca o vi tão empenhado em demarcar-se de plafonamentos reduzidos. E que "las hay, las hay".

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...