terça-feira, dezembro 20, 2011

a emigração

Não creio que haja, na história recente das nações, governantes que incitaram os seus cidadãos a emigrar. Como disse Manuel Alegre, nem Salazar, no seu quintalejo governativo, se lembrou de tal. Nem precisava, aliás. O povo, principalmente o povo rural, debandou para além fronteiras. Passos Coelho terá, porventura razão antes do tempo: os quadros deste país - este país é para velhos!... - iniciaram já uma amargurada caminhada profissional. Voltarão, muitos deles, envelhecidos, para gozar as tardes soalheiras deste Portugal à beira mar plantado.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...