terça-feira, dezembro 13, 2011

cinismo político

Não sei se é baixa política ou política, simplesmente. O que me parece é que existe, na estratégia comunicacional do ministério da educação, uma dose determinada de cinismo político. Para além disso, esta gente, finória, sabe muito bem com quem se mete. A estatégia foi clara desde o início. O inculcar em mentes desprevenidas, a par com uma sistemática peleja sindical proporcionalmente inábil no que aos mais fracos diz respeito, de vaporizações tonitruantes de que ninguém estaria a salvo nos cortes da educação, fossem professores do quadro ou professores contratados os visados, resultou, agora, num suspirar aliviado por parte dos primeiros. A resposta lacónica do secretário de estado da educação a uma pergunta da jornalista, a qual remetia o governante para a situação dos milhares de professores contratados, foi elucidativa: posso assegurar que os professores do quadro não serão afetados. E pronto! Numa assentada, o ministério calou toda a gente. Os sindicatos, que tradicional e primeiramente defendem os seus correligionários vinculados, os professores, já sem voz para o que que quer que seja e a opinião pública (publicada ou não), que simplesmete acha muito bem. Mais uma reforma educativa.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...