terça-feira, dezembro 01, 2009

os chumbos do tribunal de contas

Por muitas voltas que se dêem, o quinto chumbo do Tribunal de Contas a obras já concessionadas pelo Governo (o último relacionado com a famosa auto-estrada da justiça, denominada assim por um empolgado José Sócrates) não deve ser achado como um mero acidente de percurso irrelevante. Pelo contrário, tudo isto configura uma tradição de gasto fácil e pretensamente oportuno na política portuguesa. A boa notícia, no meio disto tudo, é que há, ainda, um Estado de Direito a funcionar através destes exemplos que são exarados sem a habitual grazineira de outras paragens justiciosas.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...