terça-feira, junho 04, 2013

ctt

Vejo na televisão o encerramento de várias estações de correios. A maior parte delas em zonas socialmente deprimidas devido ao abandono humano e institucional. Na mesma televisão, vejo os substitutos dessas estações: minimercados, floristas e juntas de freguesias. Por sua vez, sabemos que os CTT são para privatizar. Vivemos um tempo de esplêndidas anormalidades.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...