terça-feira, março 16, 2010

os prémios dos gestores

Sem ser preciso cavalgar a vaga populista que muitas vezes caracteriza as intervenções do líder do PP, parece-me mais do que óbvio, grosseiramente claro, que a necessidade de premiar os gestores de empresas públicas é tão premente e oportuno como muitas das obras que o governo continua apostado em realizar. São estas contradições políticas que nos fazem desacreditar nos nossos homens e mulheres do regime. Devemos notar que estes senhores gestores são já cabalmente premiados com ordenados muito, mas mesmo muito acima da média. Muitos deles estão lá porque são amigos. Defendem-se na nomeação. Alvoraçam um qualquer canudo. Escondem o desajeitado currículo. A questão é, pois, séria. Tendencialmente, o único dado de crescimento efectivo no nosso país tem a ver com o número de desempregados. Destes, muitos não gostam de arvorear o canudo. Escondem-no com alguma e - sejamos francos - justificada vergonha. O que fatalmente entristece é que alguns faziam bem melhor figura do que muitos dos nossos premiados públicos.

Sem comentários:

coisas

vamos pela estrada e sentimo-nos bem. lá fora, o vento sopra, a neve cai, voam duas aves perdidas. eu sei que tenho de chegar a algum lugar...

neste momento...